RTV BRASIL seu guia de notícias online

Em audiência pública na ALBA Portugal apresenta ações da Cultura

Em audiência pública na ALBA Portugal apresenta ações da Cultura


Em audiência pública na ALBA Portugal apresenta ações da Cultura

O secretário pretende chegar com a Bahia Filmes, Casa de Caymmi, Vale do Dendê e pede o apoio para aumento do orçamento para a Cultura

 

Na manhã desta terça-feira (13), o secretário de Cultura, Jorge Portugal, apresentou as ações da pasta para o estado, em Audiência Pública, promovida pela Comissão de Cultura, Educação, Ciência, Tecnologia e Serviços Públicos, no Plenarinho da ALBA. Na pauta do encontro iniciativas como o Carnaval da Cultura (Ouro Negro/ Pelô e Pipoca), os investimentos do Fundo de Cultura e Fazcultura, além de outras ações de continuidade, como os Pontos de Cultura e os Espaços Culturais, como também das atuações das unidades vinculadas, como Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), Fundação Pedro Calmon (FPC) e Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (IPAC), que foram apresentadas pela mesa.  Portugal aproveitou para falar dos Municípios Culturais, Escolas Culturais e Estações Culturais, dentre outros projetos, como a Concha Negra (ou ConchAfro, sugerido por Nadinho do Congo), Bahia Filmes e Casa de Caymmi. O encontro atendeu ao chamado da presidente da comissão, a deputada estadual, Fabíola Mansur.

O secretário pediu à comunidade artística, ao Conselho Estadual de Cultura e aos deputados presentes, apoio para aprovação do aumento no orçamento da pasta que gira em torno de 0,56%, do orçamento geral do Estado. Outra sugestão de Portugal, é que a lei que rege o Fazcultura seja revista e atualizada, para que o poder de decisão sobre quem vai patrocinar um projeto cultural não esteja às mãos dos marqueteiros das empresas.

Outro anúncio importante é o retorno do projeto Calendário das Artes, que irá premiar 35 projetos, cinco por macrorregião, no valor de R$ 13 mil, totalizando nessa primeira chamada um aporte de R$ 455 mil, gerido pela FUNCEB. Além das Casas Culturais, Museu do Artesanato e o Vale do Dendê, no Pelourinho.

Para o secretário hoje se deu um momento importante para a Cultura da Bahia, durante a realização da audiência pública promovida pela Comissão de Cultura e Educação, presidida pela deputada, Fabíola Mansur. “Tivemos um diálogo muito franco, claro e verdadeiro com os agentes culturais e a sociedade civil, mais ainda com representantes do Conselho de Cultura, sobre a situação geral da pasta e principalmente da necessidade que nós temos de ampliar os nossos recursos, para dar conta do tamanho da Cultura que a Bahia tem”, explica Portugal

Após a apresentação das ações da Cultura, a presidente da comissão, abriu para debate com a classe artística presente. Entre as falas se inscreveram o presidente do Olodum, João Jorge, O recém-eleito presidente do Conselho Estadual de Cultura, Emílio Tapióca, o cantor e compositor Gerônimo, a representante do Fórum de Cultura da Bahia, Cristina Oliveira, o deputado Estadual, Rosemberg Pinto e o vereador de Salvador, Silvio Humberto.

As falas foram de apoio ao pleito do secretário, que diversas vezes foi aplaudido pela plateia e teve acolhimento nas propostas e ações apresentadas. Para João Jorge e Cristina Oliveira outro tema que deve ser revisto é a política de editais, que para eles no momento atual, após dez anos de implantada, mostra-se excludente. “Os editais da forma que estão sendo tocados não absorve aquele que faz a cultura nos territórios. Queremos um edital que não seja excludente”, reforçou Cristina. Por sua vez, João Jorge pede que o Fazcultura seja mais aberto e que possa abarcar as entidades afro no seu momento especial que é no período do Carnaval. “Hoje o Fazcultura exclui do seu processo projetos que tenham no seu escopo o desfile carnavalesco das entidades. Ficamos impedidos de captar recursos por essa via simplesmente por conta do Carnaval”, relata o presidente do Olodum.

“O apoio desses personagens, que fazem a cultura acontecer, a gente pode chegar ao patamar desejável. Foi esse o principal encaminhamento que tiramos dessa audiência. Repensar editais, repensar Fazcultura e aumentar a nossa verba orçamentária. Esse é apenas um ponto de partida, disse Portugal, indicando como positivo o encontro.

Fonte Ascom


Comentários:

Mais Posts RElacionados

Últimas # Notícias

© 2017 - Copyrights RTV BRASIL. Todos os direitos reservados