RTV BRASIL seu guia de notícias online

Taís Araújo: "A comédia é um recurso maravilhoso para provocar a reflexão".

Taís Araújo: "A comédia é um recurso maravilhoso para provocar a reflexão".


Taís Araújo:

Em 2016, Taís Araújo foi eleita a Mulher do Ano pela revista GQ. Este ano, a atriz apareceu como a quinta personalidade que mais influencia os jovens, segundo uma pesquisa divulgada em fevereiro. Ao lado do marido, Lázaro Ramos, Taís se destaca como símbolo de arte, cultura, empoderamento e coragem. Em cartaz no teatro com um texto que reinventa Martin Luther King de forma mais reflexiva e dramática, na televisão com a série “Mister Brau” (Globo), que fala de preconceito e pluralidade de forma mais leve e musical e com o programa “Saia Justa” no GNT, Taís Araújo tem se tornado ícone de beleza e reflexão nos dias atuais. No entanto, sua força ideológica é apenas mais um combustível para sua jornada artística, como acredita a atriz. “Eu acho que ser influenciadora não é uma posição de destaque na minha carreira. É uma função para agregar”, pontuou em entrevista à coluna.

Em tempos em que a digital influencer mais badalada é aquela que compartilha o seu #lookdodia e foge de posicionamentos mais ácidos, Taís Araújo acredita que o universo virtual abrigue diferentes tipos de perfis. Para ela, alguém que se destaque pelos pensamentos modernos e reflexivos não é mais importante que quem é símbolo de jogos virtuais, moda ou beleza. 

“Assim é colocar tudo em um saco só. Eu acredito que existam diferentes tipos de influenciadores e nós não podemos generalizar. Tem gente que fala só de moda, outros de comportamento e alguns que se destacam por influenciar em novas formas de pensar. Cada um tem o seu lugar e o seu espaço”, analisou. 

O fato é que Taís Araújo reúne todos esses tipos de atributos modernos. Linda, talentosa e antenada às questões sociais, a atriz leva para a sua arte verdades construídas dentro e fora dos palcos. Ou dos sets. Em “Mister Brau”, voltou em grande estilo, Taís retoma as aventuras de Michele, que, na terceira temporada, decide adotar três crianças grandes. Entre os diversos temas e questões sociais que o programa já abordou nas outras duas temporadas anteriores, como o preconceito, a liberdade e o machismo, por exemplo, a adoção de crianças mais velhas chega como um novo personagem das discussões. 

Ciente da importância da série que mistura humor, música e cunho social na tela da Globo, Taís reconheceu o valor de seu trabalho e de todo a equipe de “Mister Brau” para a reflexão da sociedade. “Eu acho essencial que a gente leve isso para a casa das pessoas e que nós do elenco assumamos essa postura. No Mister Brau, nós, sim, tocamos em questões espinhosas, mas sempre de maneira delicada e que joga a luz para a reflexão. A gente só quer agregar e convidar para uma conversa”, ponderou. 

No entanto, nenhuma dessas temáticas ganham forma de aulas ou discursos na série. Pelo contrário. Com muita cor, alegria, diversão e brincadeira, Taís e Lázaro Ramos, além de todo o elenco e direção, tratam desses temas de forma tranquila e até divertida. E esse é um dos segredos que mantém “Mister Brau” na grade da Globo pelo terceiro ano. “Eu acho que fica mais palatável. A comédia é um recurso maravilhoso para provocar a reflexão. E a série acabou prestando esse serviço como consequência da história. No começo do programa, a gente não pensava em abordar tanto essas temáticas sociais”, justificou. 

Além da comédia, a música também ganha um super destaque em “Mister Brau”. Cantores e performáticos, Brau e Michele ainda ganham um programa de televisão para receber artistas da música brasileira. Nesta temporada, o caráter musical da série ainda será potencializado, como adiantou Taís Araújo. E, cada capítulo, um artista da cultura nacional irá estrelar a atração e enriquecer ainda mais a história. Na escalação, nomes como Karol Conka, Jaloo, Marília Mendonça, Elza Soares, Iza, Claudia Leitte e Maiara e Maraísa se destacam. 

“Primeiro, nós escolhemos os convidados pela sua representatividade na sociedade e o que aquela participação iria trazer para o programa. Depois, nós pesquisamos o repertório e escolhemos uma música que se adequasse ao contexto daquele episódio. Então, nada foi aleatório”, contou. 

Sucesso há duas temporadas, com grande expectativa para para a terceira e possibilidade de produção da quarta, “Mister Brau” ainda tem muito fôlego. Um dos cases de maior interação público emissora da grade da Globo, a série é considerada quase uma unanimidade entre os espectadores. Satisfeita e honrada com o trabalho, que foi definido como maravilhoso e extremamente gratificante, Taís Araújo contou que quer mais. No entanto, a atriz confessou que não sabe se aguentaria interpretar Michele por longos anos, como foi o caso de “A Grande Família”, outra série da Globo que ficou na grade da emissora por 13 anos. 

“Eu acredito que a história tenha potencial para ficar por muitos anos ainda. Mas eu não sei se eu Taís iria embarcar nesse projeto. Em relação a uma possível quarta temporada, eu estou torcendo muito. Porém, não sei se ficaria 10, 15 anos trabalhando com a série”, disse Taís que, entre tantos projetos, revelou que também sente falta das novelas. Desde de 2014, quando interpretou Verônica em “Geração Brasil”, a atriz não se dedica a um projeto tão longevo como uma novela. 

Mas o fato de Taís Araújo estar longe dos folhetins não é sinal de que a carreira da atriz esteja calma. Pelo contrário. Este ano, ela retomou a experiência como apresentadora no sofá do “Saia Justa”. Ao lado de Astrid Fontenelle, Monica Martelli e Pitty, a atriz discute temáticas contemporâneas que são destaques na sociedade. Outro trabalho que demanda muito tempo e dedicação de Taís Araújo é a peça “O Topo da Montanha”. 

Na companhia e parceria do marido e ator Lázaro Ramos, eles recriam um possível último dia de vida para Martin Luther King, grande ativista norte-americano que foi assassinado em 1968. “Quando nós decidimos montar esse espetáculo, queríamos levar o texto para quem nunca pensou sobre o assunto. Por isso, fomos para Higienópolis, FAAP e diversos outros lugares pelo Brasil inteiro. E é muito bom ver o quanto a peça toca as pessoas e como todos saem emocionados”, contou. 

No texto que traz para o protagonismo da história questões como empatia, altruísmo, coragem e respeito ao próximo, Taís Araújo contou que a experiência em cima dos palcos é o combustível para a caminhada do casal. Segundo ela, a cada apresentação, seu coração se enche de esperança e vontade de continuar levando essas mensagens através de sua arte. 

“Essa peça é uma delícia para mim e para o Lázaro. Todas as vezes quando terminamos de apresentar, temos uma receptividade muito calorosa do público e nos sentimos alimentados e revigorados para querer continuar levantando essa bandeira”, comemorou Taís. Vida longa! 

 

RTV Brasil com informações do Jornal JB.

Foto: Revista GQ.


Comentários:

Mais Posts RElacionados

Últimas # Notícias

© 2017 - Copyrights RTV BRASIL. Todos os direitos reservados