RTV BRASIL seu guia de notícias online

Associação Brasileira de Psiquiatria critica cena de choque em

Associação Brasileira de Psiquiatria critica cena de choque em


Associação Brasileira de Psiquiatria critica cena de choque em

A Associação Brasileira de Psiquiatria divulgou uma nota criticando a cena que a personagem Clara (Bianca Bin), de "O Outro Lado do Paraíso", é internada por Sophia (Marieta Severo) em um hospício com um diagnóstico de esquizofrenia e é submetida a choques após ser imobilizada por enfermeiros.

"O folhetim, assinado pelo escritor Walcyr Carrasco, apresenta narrativa estigmatizante e preconceituosa no que concerne ao uso da Eletroconvulsoterapia – ECT, procedimento médico seguro e indicado para tratamento de transtornos psiquiátricos graves que põem em risco a integridade do paciente, os quais não tenham respondido aos medicamentos psiquiátricos.

Na novela, a protagonista é supostamente diagnosticada com uma doença mental grave, como a esquizofrenia que, na ficção, tem seu manejo terapêutico inadequado. A esquizofrenia é uma doença que atinge cerca de 1% da população mundial e pode causar alterações na maneira como o indivíduo percebe a realidade, perdendo este a capacidade de discernimento. Tal transtorno costuma apresentar como sintomas alucinações e delírios persecutórios, crenças falsas que não cedem às argumentações ou evidências, além da desorganização do pensamento e alterações na expressão emocional.

Quanto à Eletroconvulsoterapia – ECT, ou eletroconvulsão terapêutica, é feita em ambiente hospitalar, sob anestesia, com monitoramento eletrocardiológico e eletroencefalográfico, recebendo uma baixa corrente elétrica que induz à convulsão, com duração de cerca de 30 segundos. A técnica é eficaz e segura e seu sucesso terapêutico é destacado por múltiplos estudos relacionados ao tema, publicados em periódicos de grande destaque científico".

A cena foi exibida no capítulo de terça-feira (21) e mostrou Clara sendo internada em um local isolado, com documentos manipulados apresentados por sua ex-sogra.

"Considerando o acima pontuado, a ABP manifesta a sua profunda inconformidade à cena veiculada, que descaracteriza esse procedimento médico, além de prestar um desserviço à população, estimulando o preconceito e o estigma relacionados às doenças mentais, aos pacientes psiquiátricos e à psiquiatria. A ECT na psiquiatria, assim como a eletrocardioversão na cardiologia, salva vidas", completou a ABP na nota.

RTVBRasil com informações do blog do Uol.


Comentários:

MAIS POSTSRelacionados

Últimas # Notícias

© 2017 - Copyrights RTV BRASIL. Todos os direitos reservados